quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

YouTube tira MofoTV do ar!

Parem as rotativas! Bomba!

Quem não disse que no Natal não acontece notícia? E aconteceu uma trágica. O primeiro a constatar foi o internauta Lucas Lopes, às 17 horas e 30 minutos desta véspera de Natal.

Seguinte: a conta do MofoTV, "o canal retrô que homenageia artistas e resgata a memória pop da tv brasileira", o mais famoso acervo digital de televisão e cultura pop brasileira, verdadeiro museu internético dos anos 70 a 90, foi suspensa pelo YouTube! Isso mesmo, está fora do ar!

Para quem não entende como isso pode acontecer, tenho quase certeza absoluta que o problema tem nome: direitos autorais. Afinal, reunir vídeos com apresentações musicais de artistas e programas de televisão, sem recolher ao ECAD (Escritório Central de Arrecadação) o valor a título de direitos de autor, e o fazer sem ser titular dos direitos e sem autorização de quem o é gera esse risco.

Muitas gravadoras, produtoras e distribuidoras ficam à caça de vídeos no YouTube e MP3 nos servidores do mundão afora. Outras (poucas) se renderam às novas tecnologias e criaram suas próprias contas nesses serviços para divulgar seus produtos. A Rede Globo, por exemplo, tem seu canal oficial no YouTube para postagem de capítulos de Malhação; e o grupo de humor inglês Monty Python criou sua conta para postar seus programas, ao verem a repercussão dos vídeos de suas esquetes, postados até então por fãs.

É bom que se diga que não estamos criticando YouTube ou o Google pelo acontecido. Tampouco pode-se dizer que agem errado os detentores dos direitos autorais, afinal estão agindo conforme a lei e em defesa dos seus direitos. A reflexão que se deve fazer é sobre a necessidade urgente de mudança no sistema de direito autoral no mundo, adaptando-o à realidade da internet. Aqueles que "se juntaram ao inimigo", criando contas e postando vídeos no YouTube mostram uma nova tendência, que admite essas novas mídias para divulgação de seus trabalhos, ao invés de denunciar e pedir para retirar da rede os "piratas". É um tema espinhoso, muito difícil, e sobre o qual não ousaremos nos manifestar.

Para que uma conta seja suspensa é necessário que o usuário do YouTube seja reincidente... quer dizer, na primeira vez que ele posta um vídeo ilegal, o YouTube apenas retira do ar. Na segunda vez, bau-bau tudo.

Nosso amigo cartunista, editor de vídeo e criador do site Tinha que ser o Chaves e da emissora de tv fictícia Salt Cover Igor Carastan de Barros foi vítima de um mal-entendido (digo, injustiça) e teve um vídeo retirado do ar unicamente por nele aparecer escrito "I'll Be Back", frase que se tornou célebre no filme O Exterminador do Futuro. O YouTube entendeu se tratar de violação de direito autoral, pertencente, no caso, à 20th Century Fox. Nada a ver, mas que deixou o nosso amigo bastante triste e revoltado.

Agora, é a vez do ex-dentista José Marques Neto, uma pessoa notável e admirável por seus esforços em defender e valorizar o passado esquecido e rico da TV e da cultura pop brasileira, amigo e colaborador do nosso outro blog, o Baú do Silvio.



Quem vê seu esforço de mais de 1000 vídeos postados correr o risco de sumir da internet. Ele, que já se tornou uma personalidade da internet. Ele e seu acervo de mais de trocentas fitas VHS, de onde saíram pérolas incríveis, que já apareceram em páginas de revistas e jornais do país e mesmo em imagens porcamente aproveitadas em programas de televisão.

Esperamos, do fundo do coração, que não.

E que o Neto, assim como o Igor, continue combatendo o seu bom combate.

Feliz Natal, mesmo assim, pra todos nós.

3 comentários:

  1. Caro Hamilton, em primeiro lugar gostaria de parabenizá-lo em público pelo excelente blog. Você consegue resgatar em seus artigos elementos legítimos da cultura popular brasileira, popular mesmo, e não "popular" no sentido de "aquilo que a grande mídia quer enfiar goela abaixo do povo". Em segundo lugar, já comentando especificamente este artigo sobre a temática dos direitos autorais, acho legítimo levantarmos essa discussão sobre a configuração atual desses direitos, na exata medida em que a internet se tornou instrumento poderoso e quase incontrolável contra a proteção desses direitos. A princípio, existe uma fundamentação legítima por trás dos direitos autorais, já que pretendem proteger a produção intelectual e incentivar iniciativas inovadoras e originais. Contudo, houve sério desvirtuamento desse instituto, uma vez que se tornou escudo para encampar todo e qualquer elemento da cultura popular e mesmo da língua e incrementar, por meio de só mais uma forma dentre inúmeras, os lucros de grandes conglomerados midiáticos e impérios da comunicação. A conseqüência que daí surge toma proporções inversas das petendidas: a criatividade fica à mercê de direitos autorais, perpetuam-se impérios e tolhe-se a liberdade de manifestação. Óbvio que deve haver sim uma proteção das idéias e da criatividade, mas existem sim fórmulas que permitem a expansão da criatividade com cautela. O que vemos é uma sanha por proteção que muito em breve permitirá que o "bom dia" ou o "olá" sejam protegidos por direitos autorais, de modo a obrigar a todos a pagarem os direitos autorais a alguma produtora que já utilizou essas expressões em seus filmes! Bom senso e cautela devem ser os antídotos contra esse abuso, além de um pouco menos de hipocrisia, já que as mesmas pessoas que defendem fervorosamente esses direitos não se incomodam em ver o patrimônio natural ser flagrantemente roubado e dilacerado por corporações internacionais que surrupiam plantas da nossa flora e fórmulas medicinais dos indígenas para elaborarem medicamentos caríssimos e obterem lucros incalculáveis.
    Parabéns por trazer essa discussão à tona, meu caro amigo, e parabéns pelos seus três blogs! Eles sim são um verdadeiro incentivo à criatividade! Abraço!

    ResponderExcluir
  2. deveria se existir ou não, é criar um youtube "alternativo", onde vc é livre para ver e disponibilizar videos que vc quiser, eu tenho videos no youtube, e acho q esta ficando sem graça, pois agora vc não pode ver mais programas detelevisao q ja passaram algun tempo, não pode ver mais clipes de musica, so da pra ver ultimamente umas coisas bobas q nem criança acha graça. flw!

    ResponderExcluir
  3. Isso é papo de anônimo que usa o nome e trabalho dos outros para aparecer,é só se encostar e citar o nome e pronto:
    está no site da Vera Fischer.
    Vai ter que pagar direito autoral,Sim!

    ResponderExcluir

Talvez você se interesse por:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...