quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Quem manda no Reino dos Baixinhos?

Maria da Graça Xuxa Meneghel foi coroada Rainha dos Baixinhos em fins dos anos 80, aclamada e idolatrada pelas crianças do Brasil. Apesar das críticas reticentes de parte dos adultos em relação a suas roupas curtas, era praticamente uma unanimidade entre eles e também entre a criançada. Seu programa diário Xou da Xuxa era líder de audiência nas manhãs da Rede Globo, apresentando os desenhos animados mais comentados da época e atrações musicais de peso, como Trem da Alegria, Patrícia e Atchim & Espirro que faziam também a cabeça da molecada e seguiam a trilha de sucesso da jovem e animada loirinha de chuquinhas no cabelo.



O programa estreou em 1986, após pouco mais de dois anos de sucesso da Xuxa na TV Manchete, na qual debutou como inexperiente modelo, namorada de Pelé. E acabou em 1992, quando Xuxa passou a tocar outros projetos, nem sempre de sucesso, como sua carreira internacional nos EUA e na América Latina. Passou a comandar programas semanais, e nem sempre voltados ao público exclusivamente infantil.

Atualmente, a programação infantil de maior sucesso na TV é a do SBT, com o Bom Dia & Cia., com Cássio Yudi Tanashiro e a estrelinha gospel Priscilla Alcântara. E, aos sábados e domingos, quem comanda o show é Maísa Silva, um fenômeno de mídia e popularidade, com apenas 6 anos de idade. Maísa vence com freqüência em audiência o TV Xuxa, atual programa da Rainha, exibido aos sábados pela manhã, em geral espremido entre jogos de vôlei, corridas de Stock Car e treinos de Fórmula 1, e retalhado com vários cortes. Há várias críticas bem feitas a esse programa nesse blog, que é especializado na obra da mãe da Sasha.

Há algo de podre no reino dos baixinhos. Xuxa já não é mais aquela e seus programas não atraem mais público como antes. Será mesmo? Existe um descompasso entre o programa que ela apresenta e seus trabalhos paralelos, como a série de DVDs Xuxa Só Para Baixinhos. Na televisão, parece não se saber qual é o público do programa, não é, certamente infantil, mas tampouco agrada os fãs que cresceram prestigiando desde a infância os programas dela. Ela fica, diríamos, sem personalidade, como Geraldo Alckmin na fracassada campanha para prefeito de São Paulo, que acabou domingo. Por outro lado, os DVDs vendem bastante e já estão na oitava edição.



A programação infantil do SBT (aliás, da TV brasileira em geral) já teve dias muito melhores. Os programas líderes do horário são meras sessões de desenhos entremeados por "cabeças" em estúdio, na qual os apresentadores-mirins estimulam a criançada a telefonar e participar de brincadeiras valendo prêmios. Todo mundo quer o Playstation, mas acaba mesmo é ganhando Jogo da Vida ou Max Steel. E na brincadeira em que o coelho tem que ir para a casinha vermelha ou amarela, geralmente o bichinho fica parado no centro da roda... algumas das brincadeiras são herdadas do Bozo, do Fantasia e de outros programas antigos da casa.

Estaria mesmo a Rainha dos Baixinhos perdendo seu reinado para a espontaneidade de Maísa Silva? Ou, na verdade, é Xuxa quem não conseguiu encontrar público e horário adequados na TV para seu programa?

A propósito, há alguns dias dei uma volta numa das Lojas Americanas. Estavam tocando músicas da Xuxa, por ocasião da proximidade do Dia das Crianças. Foi interessante perceber que as músicas eram cantaroladas, cantadas ou batucadas por quase todos ali presentes, na faixa etária entre 20 e 35 anos, mais ou menos. Pais e mães que traziam seus filhos para escolher brinquedos conheciam na ponta da língua as velhas canções, grande parte delas de Sullivan e Massadas, que venderam mais de 10 milhões de discos. Mas as crianças, que interessante, não sabiam e não cantavam.

Então?...

Um comentário:

  1. Excelente texto, rapaz. Pra mim a receita do sucesso antigo de Xuxa é a seguinte: desenhos de primeiríssima qualidade, ótima qualidade em imagem (o sbt - 2º colocado - sempre teve imagem ruim), cenários atrativos, inteligência da apresentadora e da produção, forte marketing (lego, coca-cola etc), horário (começava no café-da-manhã e já pescava a pirralhada a partir desse ponto), a apresentadora participou dos melhores filmes (numa época empregnada de "pornochanchadas" como dizia o saudoso Glauber Rocha), ter munição farta (Trem da alegria, N. Turma do Balão Mágico, Polegar, Dominó, entre outros), estar no canal lider de audiência que, na época, conseguia até 70% de audiência. Essa última parte que eu citei foi o golpe mortal para os outros canais. Como meus pais só viam a Globo, até os 5 anos eu achava q não existia os outros canais. É tanto q ainda me lembro de minha mãe me ensinando qual era o canal do Sérgio Malandro (do sbt). hehe. A Xuxa era um estrondo, algo que nunca será repetido, até mesmo porque hoje há centenas de canais de tv e, logo, a propaganda está bastante dividida. O dinheiro é mais minguado se comparado à década de 80. Se uma emissora não se cuidar, ela quebra!

    ResponderExcluir

Talvez você se interesse por:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...