quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Patriotários

O Daniel já falou disso aqui antes, em A Civilidade e o Futebol, mas ontem a situação foi muito mais grave.

Jogaram São Paulo e Atlético Paranaense em mais uma rodada mata-mata da Copa Sul-Americana. Noite fria, Morumbi vazio. Como exigência de uma tal lei estadual, é executado o Hino Nacional pelo sistema de som do estádio. Perfilado apenas o trio de arbitragem. E os jogadores? Os do Atlético, batem bola no campo, num breve aquecimento para a partida. Os do São Paulo nem tinham entrado em campo. Muito constrangimento no ar, nas arquibancadas e pela televisão. No público, havia quem acompanhasse de pé, cantando, e os que permaneciam sentados, conversando.

Terminada a vergonhosa execução do Hino, o São Paulo entra em campo. Na Globo, Cléber Machado lamenta o acontecido e diz que a questão do Hino antes das partidas "tem de ser repensada". Mudo para a Bandeirantes. Lá, Neto e Oscar Roberto Godói indignados, apesar de não terem diploma, como quer o colega Luciano do Valle, opinam de forma contundente. Dizem que foi um desrespeito à Nação, à torcida e ao pessoal da imprensa, que não pôde tirar fotos ou fazer filmagens como normalmente faz, aproveitando os jogadores enfileirados.

Um péssimo exemplo para um País que quer sediar uma olimpíada e vai sediar uma Copa do Mundo. Nada pior do que patriotas de ocasião, que nada fazem, nem se prontificam a ficar de pé para ouvir o Hino, e depois vêm cobrar resultados do esforço individual dos atletas brasileiros. Nada pior do que essa "formação de civilidade" dos jogadores, em campo. Se tratam as coisas pátrias assim, isso pode ajudar a entender porque vão tão mal quando jogam na Seleção, com aquela cara de "tô nem aí".

Vergonha não é ir à Pequim e voltar com algumas medalhas, frustrando os ufanistas. Vergonha é isso que passou na televisão ontem.

Um comentário:

  1. Concordo. Aqui existe um patriotismo de caráter "farcical".

    É difícil pegar alguém que pense no vizinho, que se dirá de quem pense "no país".

    E veja só... a Copa de 2014 já está certa para ser aqui, mas as Olimpíadas de 2016 não... e estão fazendo lobby para que seja no Rio.

    Pensemos: não estão conseguindo nem fazer as eleições no RJ; estão chamando as forças armadas para garantirem-na. O mínimo que uma democracia precisa garantir são suas eleições, e o Rio ainda quer sediar uma edição dos jogos olímpicos...

    ResponderExcluir

Talvez você se interesse por:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...