sexta-feira, 27 de junho de 2008

Que falta faz o Flávio Cavalcanti...

Há uns 15 anos, jovens e adolescentes ouviam músicas compostas e executadas por pessoas que usavam drogas, e eram criticadas por isso. Hoje, jovens e adolescentes ouvem músicas que são umas drogas e ninguém diz nada.

Essa é uma frase que eu criei na noite de sábado, voltando para casa de ônibus, enquanto vários garotos e garotas conversavam animadamente e cantavam com um celular tocando músicas "da moda", digamos assim, bem alto... aliás, tem uma velha lei municipal em vigor que proíbe o uso de aparelhos sonoros nos coletivos. Mas é norma sem sanção...

As pessoas mais velhas, como o meu pai, quando ouvem essas canções atuais, sempre citam o Flávio Cavalcanti. Famoso apresentador dos anos 70 e 80, tecia duras críticas musicais e quebrava discos de que não gostava, sem pestanejar. Brega, mau gosto e imoralidades não tinham vez com ele. Em seus programas, promovia concursos de compositores, que tinham de inventar uma letra de samba na hora, que seria submetida a um júri especializado e às palmas da platéia. Hoje em dia, Flávio é pouco lembrado.

As coisas mudam, os gostos e costumes mudam. Mas creio que a frase acima mereça uma reflexão. Interprete-a como quiser. Acho as músicas atuais ruins, mas não vou fazer nenhum outro juízo. O debate está lançado.

terça-feira, 24 de junho de 2008

Ibope dos Transcendentes I

Dando continuidade à medição dos posts mais acessados e outros números do blog no post Um abraço pra galera de Mountain View, vamos fazer agora mais uma medição de nossa audiência. Agora, envolvendo os três blogs do Grupo Transcendentes!

O levantamento envolveu os dados desde o início dos blogs até o dia 22 de junho de 2008.

BLOG TRANSCENDENTES
2.312 visitas, 3.477 page views

Os 5 Posts mais acessados (em número de page views):
1 - Desaparecido: Milkybar 916
2 - Nestlé confirma: Milkybar acabou 364
3 - Celebridades instantâneas 94
4 - Editora Globo cancela sua linha de quadrinhos 78
5 - Sementes de Cultura 1: As sete maravilhas do Mundo Antigo 78

As 5 Palavras-Chave mais utilizadas em mecanismos de busca:
1 - "transcendentes calypso" 25
2 - "scalla fm" 18
3 - "assim caminha a humanidade" 13
4 - "maniqueísmo" 6
5 - "o que é ser brega" 6

Os 5 principais sites de referência (em número de visitantes):
1 - Ueba 565
2 - Orkut 186
3 - O Baú do Silvio 37
4 - A Pantomima Visceral 34
5 - Minhas Camisas 25

Os 5 países que mais visitaram o Transcendentes:
1 - Brasil 2.224
2 - Japão 26
3 - Portugal 24
4 - Estados Unidos 14
5 - Argentina 12

As 5 Cidades que mais visitaram o Transcendentes:
1 - São Paulo 747
2 - Rio de Janeiro 168
3 - Belo Horizonte 118
4 - Campinas 73
5 - Curitiba 72


----------

BLOG BAÚ DO SILVIO
5.465 visitas, 11.178 page views

Os 5 Posts mais acessados (em número de page views):
1 - Da TV para sua casa 890
2 - O microfone do Silvio Santos parte 1 681
3 - As Vinhetas do SBT 315
4 - O microfone do Silvio Santos parte 2 286
5 - Trilhas sonoras de programas do SBT 234

As 5 Palavras-Chave mais utilizadas em mecanismos de busca:
1 - "obaudosilvio" 71
2 - "md 405s" 35
3 - "o bau do silvio" 21
4 - "bau do silvio" 20
5 - "vinhetas" 18

Os 5 principais sites de referência (em número de visitantes):
1 - Ueba 875
2 - Orkut 455
3 - Central de Notícias 155
4 - Google Imagens 105
5 - SodTV! 61

Os 5 países que mais visitaram o Baú do Silvio:
1 - Brasil 5.209
2 - Portugal 69
3 - Estados Unidos 57
4 - Japão 44
5 - Argentina 17

As 5 Cidades que mais visitaram o Baú do Silvio:
1 - São Paulo 1.148
2 - Rio de Janeiro 534
3 - Belo Horizonte 261
4 - Porto Alegre 195
5 - Curitiba 194


----------

BLOG LETRAS DO TREM
703 visitas, 1.626 page views

Os 5 Posts mais acessados (em número de page views):
1 - LP 1984 - Patrícia & Luciano: Clube da Criança 99
2 - É de Chocolate 79
3 - LP 1985 - Trem da Alegria 75
4 - Uni Duni Tê 62
5 - Carrossel de Esperança 56

As 5 Palavras-Chave mais utilizadas em mecanismos de busca:
1 - "discografia trem da alegria" 15
2 - "músicas do trem da alegria 13
3 - "trem da alegria discografia" 13
4 - "discografia do trem da alegria" 7
5 - "blogspot discografia do trem da alegria" 4

Os 5 principais sites de referência (em número de visitantes):
1 - Orkut 65
2 - Músicas Infantis 80 39
3 - O Baú do Silvio 30
4 -Transcendentes 29
5 - Central Blogs 5

Os 5 países que mais visitaram Letras do Trem:
1 - Brasil 660
2 - Estados Unidos 13
3 - Japão 11
4 - Portugal 6
5 - Argentina 3

As 5 cidades que mais visitaram Letras do Trem:
1 - São Paulo 189
2 - Rio de Janeiro 101
3 - Belo Horizonte 31
4 - Vitória 28
5 - Aracaju 21

Eu e o Daniel ficamos bastante contentes com os resultados deste levantamento, feito graças ao Google Analytics, que monitora estes blogs de uma maneira fantástica. Deu um baita trabalho montar as listas, mas o retrato final é bem interessante. Tínhamos anunciado alguns de nossos posts no site Ueba, e o resultado foi impressionante, atingindo picos altíssimos de visitação, sobretudo nos posts sobre o Milkybar, que soterraram Lasier Martins na lista dos mais vistos dos Transcendentes.

Gostei, especialmente, de ver entre os que mais visitam o blog Letras do Trem, internautas do Espírito Santo e de Sergipe, fugindo do eixo Sul-Sudeste; principalmente no blog em questão, que ainda carece de maior divulgação.

Em breve, compartilharemos com vocês novos números de nossa audiência.

domingo, 22 de junho de 2008

Os injustiçados videogames

Novamente sumido, andei decepcionando meu sócio por uns tempos, mas finalmente estou de volta! Gostei bastante do novo visual do blog, principalmente pela exposição maior de nosso mascote. Apesar de o Hamilton gostar de dizer que meus posts são sobre assuntos de relevância cultural, hoje vou fugir dessa linha.

Frases famosas são realmente interessantes. Por ousadia, falta de adequação ao momento, por serem engraçadas, algumas expressões de pensamento simplesmente ficam para a história. Dentre as mais atraentes sem dúvida estão as frases despretensiosas, que sem querer acabam tendo um grande significado. Vejam a seguinte: "Computer games don't affect kids, I mean if Pac Man affected us as kids, we'd all be running around in a darkened room munching pills and listening to repetitive music". Genial ou não? O profeta se chama Kristian Wilson e era o CEO da Nintendo na época, o longínquo ano de 1989. Sem querer (querendo?), o executivo sintetizou em poucas palavras como são as "baladas" dos nossos dias! E aqui chegamos a outro ponto que muito me atrai, os videogames.

A frase foi uma clara defesa aos jogos eletrônicos por um dos homens mais poderosos do ramo à época. O que realmente intriga é o motivo pelo qual criticariam o inocente Pac Man, jogo muito conhecido em que o personagem controlado pelo jogador deve comer todas as pílulas de cada cenário sem ser pego pelos "fantasmas" presentes, algo primitivo se comparado aos sucessos atuais. O vídeo a seguir mostra bem como funciona o jogo:



As críticas aos games, no início da década de 90, estavam apenas surgindo. Com o desenvolvimento da tecnologia, novos gêneros de jogos foram surgindo. Aos poucos, passaram a abranger cenas de violência explícita, motivo pelo qual foram severamente criticados. Não é raro, no entanto, tais críticas não possuírem fundamento algum, afinal o número de pessoas que se divertem com tais jogos é considerável e aumenta a cada ano. Apesar disso, não há como traçar relação clara entre essa modalidade de entretenimento e o cometimento de crimes ou mesmo a criação de comportamentos estranhos nas pessoas.

Um caso concreto que levantou a discussão sobre o assunto foi o do sujeito que entrou em uma sessão de cinema em São Paulo, no ano de 1999. Tratava-se de um estudante de medicina, Mateus da Costa Meira. Sujeito perturbado, não tinha amigos, interrompeu tratamento psiquiátrico e era usuário de cocaína desde 2 meses antes do crime. O ocorrido ocasionou forte comoção social e passou-se a discutir eventuais motivos para sua prática. Os gostos pessoais do assassino foram estudados e discutidos por jornalistas e apresentadores de televisão. Chegou-se a um consenso: Duke Nukem, um dos jogos preferidos de Mateus, por ter cenas em que o personagem distribui tiros dentro de um cinema, teria exercido certa influência para a prática do crime. O jogo chegou a ser proibido no Brasil. Popularmente, uma clara tentativa de se "tapar o sol com a peneira", afinal o histórico do estudante já era sabidamente problemático há tempos. A culpa da segurança do shopping também foi posta em questão, mas o fervor da discussão eram mesmo os jogos de videogame, com os quais a população deveria se preocupar, pois poderiam levar seus filhos a praticarem atos criminosos. Vamos a um vídeo sobre Duke Nukem, jogo de tiro em primeira pessoa com um personagem deveras carismático:

.

Notem que o cenário inclui um cinema, mais ou menos com 3 minutos de vídeo (e na tela uma mulher se exibindo, dançando no poste; tirem as crianças da sala!)...

Defendo a teoria de que um jogo não guarda relação alguma com o cometimento de um ato violento qualquer. Se fosse assim, o que dizer de alguém que acabou de ver "Tropa de Elite", por exemplo? Um homicida em potencial? Isso porque o filme ganhou o Urso de Berlim... Bom, talvez esse fato explique o problema: o cinema é uma forma de arte já reconhecida e idolatrada, enquanto os jogos ainda estão em estágio bem menos avançado nesse sentido. Os filmes preferidos do assassino nem foram levados à discussão, lembro apenas que o filme exibido no momento do crime era "Clube da Luta", o que por si só não poderia influenciar desse modo o comportamento de alguém, ainda que se trate de pessoa que sofre de distúrbios psíquicos.

Fazendo uma comparação direta com os filmes, bastaria uma censura para resolver a questão, mas preferiram tentar proibir a venda do jogo. Se não me engano essa proibição foi temporária, porém esse ano o famosíssimo jogo Counter-Strike foi proibido em todo o país. Tentar justificar alegando que a fiscalização é ineficiente é descabido, afinal não há a menor restrição quando se vendem DVDs, por exemplo.

Aliás, a influência que fatores externos exercem sobre nosso modo de agir é temas clássico de estudos psicológicos, no entanto não consigo vislumbrar claramente a diferença entre as manifestações e a reação que provocam. A mais fácil de se interpretar parece ser a música, mas não vejo como diferenciar um jogo de um filme nesse sentido, ou ainda captar a mudança que artes como pintura e escultura podem proporcionar de modo tão direto na mente humana. Talvez eu seja insensível!

Enfim, só queria trazer à tona uma questão que me fascina, além de falar um pouco sobre jogos, uma de minhas paixões. Conte sobre você agora! Como interpreta o tema? Considera-se mais influenciado por alguma forma de arte ou acontecimento? Quem sabe época do ano, horário do dia... Qualquer experiência tá valendo. Nos vemos no próximo post!

Em tempo, uma curiosidade: um dos últimos grandes lançamentos da indústria de videogames, o jogo "GTA IV", faturou em sua primeira semana de vendas mais que qualquer filme lançado até hoje. Se levassem em conta as características do jogo, que inclui nudismo e violência, provavelmente seria proibido...

sábado, 21 de junho de 2008

A memória de Miguel Reale

Um dos mais longevos professores da Faculdade de Direito do Largo São Francisco, Miguel Reale foi o tipo ao mesmo tempo amado e odiado. Pelos alunos, sempre ficou marcada sua passagem pelo integralismo, na juventude, e várias brigas tiveram com ele; A eloquência, a dedicação aos estudos da ciência jurídica e da filosofia, por outro lado, lhe impuseram respeito. Foi reitor da USP por duas vezes, além de diretor da Faculdade de Direito.

Reale morreu em 2006, aos 95 anos. Imediatamente, começaram as homenagens: a sala de aula chamada de "antigo DFD" (Departamento de Filosofia do Direito) da Faculdade, no terceiro andar, recebeu o nome do professor, como é a praxe ali. Colocou-se o busto do jurista, porém até hoje não há nem sinal do seu retrato de corpo inteiro pintado à óleo - contrariando a tradição da Casa.

Pode-se dizer que se tem aí certo oportunismo, já que se preferiu batizar a sala com o nome de um recém-falecido professor em detrimento de outros mestres cujos retratos estavam guardados no depósito da Faculdade. Mas não há "fila" de homenagens, nem salas suficientes para todos. Além disso, há que se considerar a contribuição fundamental à Filosofia do Direito que Reale promoveu durante o século XX. Justo.

Porém, há outros poréns. Parece que as lembranças do professor pararam por aí. Vige a máxima que diz que o brasileiro é desmemoriado. De fato, ninguém se lembra da obra de Miguel Reale, ao menos nos bancos escolares, onde, dentre o que é ensinado, nem de longe está a Teoria Tridimensional do Direito, por ele desenvolvida. Entre os estudiosos, não posso afirmar nada - pois falta-me bagagem para tanto. Mas lembro-me que não nos é ensinado nada muito além de Hans Kelsen. Alguns ainda conseguem falar um pouquinho de Alf Ross.

Além disso, somente se menciona o nome de Reale como "pai do Código Civil". Virou responsável imediato da nova codificação que rege a vida civil no País, e que é muito criticada pelos civilistas... Em 95 anos de vida e, na certa, 70 de produção acadêmica, foi o Código Civil a sua principal contribuição ao Direito? Creio que não.

Não dá para eu falar da obra do Miguel Reale, pois com ela o contato que tive é mínimo. Somente questiono a situação: alguém cuja obra é tão elogiada, mas que sequer é levada para os bancos escolares. Jogação de confete? Ou todo mundo que morre vira santo e vira o mestre dos mestres? Não digo nem isto nem aquilo, somente que há um tremendo descompasso entre o que se fala de Reale e o que se ensina de seus trabalhos.

Ouve-se dizer, ainda, que o Instituto Brasileiro de Filosofia, fundado pelo Miguel Reale, está em maus lençóis, encontrando dificuldades em se manter e continuar produzindo sua Revista.

Essas são reflexões que tive e que são baseadas unicamente no programa de estudos das matérias de Filosofia do Direito do curso de graduação da Velha Academia.

domingo, 15 de junho de 2008

Novo layout

Para nos livrarmos da pecha de saudosistas e nostálgicos frustrados (nostálgicos sim, frustrados não - e o que prova isso é que resolvi nem assistir ao jogo da Seleção que ocorre agora, para não alimentar tal sentimento rancoroso), principalmente após os últimos posts que falam de coisas boas que não existem mais, resolvi trocar aquele design deprimente de "papel de parede de mansão de filme de terror" por este mais animado. Fiz isso sem consultar o Daniel, meu sócio, mas acho que ele vai curtir a novidade.

As cores escolhidas são amarelo e vermelho em homenagem àquele que se tornou nosso símbolo: o homem vestido de galinha. E como surgiram novas fotos desse estranho ser na internet, resolvemos homenageá-lo nos banners e no título do blog. Também coloquei o nome "transcendentes" bem grande, para que todos lembrem do nosso endereço. O dígrafo "SC" foi cuidadosamente destacado: trata-se de um recurso mnemônico de memória, minuciosamente preparado por nossa equipe de marketing para evitar que os internautas cometam erros ao digitar nosso endereço no navegador - assim evitamos que alguém coma um "S" e maltrate este singelo dígrafo consonantal.

Falando em banners, estréiam hoje os banners dos blogs que fazemos: o Letras do Trem, o Baú do Silvio e este, que é a "cabeça de rede" (para quem gosta de televisão) ou a holding (para quem gosta de termos empresariais) ou a "nave mãe" (para quem gosta de ficção científica).

Em breve vamos falar mais da fantasia de galinha, e homenagear àqueles que tem coragem para usar um traje desses até para usar o computador.

Enquanto isso, nossa Seleção está perdendo por dois a zero do Paraguai...

Gostaram do novo design? Comentem!

sábado, 14 de junho de 2008

Mais uma que vai: Scalla FM

Tá virando epidemia! Depois do Milkybar e (quase) do Maksoud Plaza, agora chegou a vez da Scalla FM sumir. Uma das rádios mais tradicionais de São Paulo, conhecida por sua programação musical requintada, aquela por aí conhecida como música ambiente de elevador ou de loja de roupas, mas que tinha público cativo, ávido por algo de qualidade e um pouco de flashback.

Ela acabou em maio deste ano. Vinha se recuperando de alguns tropeços na qualidade de seus programas e rivalizando com a Alpha FM (habitat de Bee Gees e Gloria Estefan), até que, não mais que de repente, a emissora do grupo CBS transformou-se em Mitsubishi FM, numa ação capitaneada pela agência de publicidade Africa e o Grupo Bandeirantes de Comunicação.

Parece que os ouvintes cativos que reclamaram da confusão e da mudança agora superaram a perda do antigo nome da emissora e gostaram da nova emissora. A Mitsubishi FM segue os passos da SulAmérica Trânsito, outra emissora da Bandeirantes bancada por uma jogada marqueteira, mas, desta vez, com bom trânsito (eta joguinho de palavras medonho) entre estilos musicais, indo de rock clássico à velha MPB... e sem notícias de engarrafamento.

Mas a mudança de controle da emissora ou seja lá o que tenha sido a alteração do prefixo de Scalla para Mitsubishi esconde uma baita confusão. Arrendamento da concessão? Bandeirantes com FMs demais na cidade? Tente entender você mesmo, lendo os links abaixo relacionados:

Scalla FM muda programação
Bandeirantes tem 6 rádios na Capital paulista
E a Scalla FM?
No ar, Mitsubishi FM

quarta-feira, 4 de junho de 2008

Nestlé confirma: Milkybar acabou!

A suspeita era grande. Comecei a notar o sumiço do ex-Lollo após ler o blog ibuh (Milkybar, cadê você, meu filho). Resultou no nosso post Desaparecido: Milkybar.

Resolvi tirar a história a limpo, diretamente com o fabricante. Mandei um e-mail pro site brasileiro da Société des Produits Nestlé S.A., e seu serviço de atendimento ao consumidor, sempre eficiente e prestativo (empresa suíça, rapaz, você quer mais o quê?), respondeu. Segue abaixo o e-mail que recebi da empresa do Sr. Henri:

Hamilton,

Agradecemos seu interesse mas deixamos de fabricar o Milkybar recentemente, pois a manutenção de um alimento no mercado depende de vários fatores que o viabilizem, como aceitação, disponibilidade de matérias-primas etc.

Esperamos contar com sua compreensão.

Atenciosamente,

SERVIÇO NESTLÉ AO CONSUMIDOR


O pessoal do site Comidinhas já pode atualizar seu post sobre o assunto. É o fim. Ontem abri uma caixa de especialidades Nestlé e creio que comi o último Milkybar da vida. Só tinha um na caixa, inclusive.

Mas não vou ficar me remoendo nem lamentando por um chocolate. Era o meu preferido, sim, mas há outros na praça, da própria Nestlé, muito bons. Não sei o que de fato prejudicava a empresa na fabricação ou na venda do produto, já que a resposta não é específica. A indústria é assim mesmo, precisa de resultados para sobreviver. Hoje é um chocolate que acaba, ontem foi um programa de televisão e amanhã será um carro que deixará a linha de montagem.

A fila anda! E a vida continua! E pelo menos nas caixas de especialidades o Milkybar ainda está presente... pelo menos até agora...

No Facebook criamos a página Volta, Lollo! para manifestar à Nestlé nosso desejo pela volta do fofinho de leite maltado. Quem quiser curtir e divulgar, sinta-se à vontade!

Talvez você se interesse por:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...