domingo, 23 de março de 2008

O Trem da Alegria faz a gente sonhar...

Minha coleção está completa!

Não falei antes, mas finalmente completei a coleção de discos do Trem da Alegria. Agora sim, tenho todos os vinis, completinhos, com encarte e em bom estado para apreciar, guardar e matar as saudades da velha infância.

Os discos que faltavam, de 1991 e 1992 (relembre minha saga aqui: http://transcendentes.blogspot.com/2008/02/resgatando-infncia-perdida-ou-nunca.html e http://transcendentes.blogspot.com/2008/02/resgatando-infncia-parte-2-o-preo-da.html) foram realmente difíceis de encontrar. Os vi no Sebo Liberdade, o de 1991 com a capa toda rabiscada e o de 1992 sem o encarte.

Soube que o melhor lugar para comprar vinis é nos sebos especializados das galerias da Rua 24 de Maio, perto da galeria do Rock. Fui até lá, certo de que iria ter de gastar um pouco mais de dinheiro do que havia gasto até então (por toda a coleção de 1984 a 1990 desembolsara R$ 16). Achei o que queria, um disco em cada loja diferente, e de lambuja ainda achei os discos de divulgação de Thundercats (1986) e Iô-Iô (1988). Por estes dois e pelo de 1991, paguei R$ 5 em cada. O disco de 1992 saiu por R$ 13. Todos lindos, perfeitos, encarte sem um amasso sequer.

Aliás, perfeitos até demais. Tem muita cara de encalhe de loja de disco falida. Será que nunca tiveram dono? O disco de 1992 está com o plástico protetor externo original, inclusive. Mas ele tem uma chancela: amostra de divulgação invendável, não tributada... então tá...

Ainda achei um disco de 1985 (Uni-Duni-Tê) em perfeitas condições, com todos os encartes (incluindo jogo da memória e cupom para participar da promoção 'vá para Porto Rico com o Menudo'). Levei também. Agora estou com dois discos de 1985, talvez seja bom me desfazer de um deles, trocando por outra coisa.

Desta aventura pude tirar mais algumas conclusões além das que já tinha. É quanto aos sebos. Os sebos especializados da galeria da Rua 24 de Maio, número 188 são realmente excelentes e valem muito a visita. A organização do acervo é incrível. Os lojistas manjam tudo de música, desde rock progressivo até MPB, brega e velha guarda. E vendem de tudo, e tudo em perfeito estado. Têm um público exigente e criterioso. Como conseqüência, vendem seu material pelo preço que realmente valem e mais um pouco (chamo de valor agregado afetivo do futuro proprietário), ou seja, uma nota preta!

Já os sebos populares, que vendem de tudo, tem muitos tesouros, mas é necessário desenterrá-los. Como não temos o mapa do tesouro, a procura é intensa e podemos chegar até a sentar no chão e se sujar de poeira. Recomendo o Sebo Liberdade, com duas lojas, uma na Avenida Liberdade e outra na Praça Carlos Gomes, as duas com muitos discos (embora desorganizados. Esteja disposto a perder uma tarde toda lá). O lado bom disso tudo é que, mesmo que não achemos o que queremos, sempre vamos dar de cara com alguma coisa interessante que não esperávamos achar. E a preços ridículos. O lado ruim é que o acervo (ou seria melhor dizer depósito?) é tratado com pouco cuidado, às vezes até desleixo, e pode até estar se deteriorando. Além disso, não há critério para a compra do material pelo vendedor, o que pode nos fazer encontrar peças bastante destruídas como esta:




...rasgado, remendado, colado com durex, faltando pedaço, rabiscado, o disco todo torto e vendido pelo mesmo preço de um disco em bom estado. Claro que não dá pra comprar uma coisa dessas. Espero que a criança que tenha tido este disco tenha aproveitado muito bem. A vida desse LP não foi fácil nas mãos da pirralhada. Agora ele repousa enquanto espera um novo dono, que, desculpa dizer, disquinho, mas nessas condições, acho que você nunca terá...

3 comentários:

  1. Fala Hamilton!

    Sebos são realmente lugares bem interessantes, independente do gosto. Minha praia não é muito músicas infantis dos anos 80, mas quando eu vou a algum sebo, procuro por gibis do Fantasma, Tintim, MAD, dicionários e, quem sabe, algum LP de banda de rock em bom estado e preço bom.
    A galeria do rock é um bom lugar para achar raridades, desde pechinchas inacreditáveis a discos usados caríssimos. A Praça Benedito Calixto é outra pedida com sua feirinha de antigüidades com várias barraquinhas de discos (CDs e LPs) usados.

    ResponderExcluir
  2. Adorei o post!

    Já que estamos falando da arte de sonhar, dêem uma olhada neste video do youtube http://www.youtube.com/watch?v=hyaX3JgPLVk, ou acesse o site www.meus3desejos.com.br. Tenho certeza que vocês irão gostar.

    Abs.

    ResponderExcluir
  3. Acho que eu já li essa matéria umas 8 vezes! :O adoro! Mas só agora postei! Como o Hamilton escreve bem! Dá uma emoção!Minha cidade é pequena e não tem sebos eu viajo pra ver se encontro discos numa cidade próxima! Adoro! Tem gente que olha meio estranho mas nem ligo! Vinil forever!

    ResponderExcluir

Talvez você se interesse por:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...